fbpx
Crítica | Tom e Jerry: O Filme

Crítica | Tom e Jerry: O Filme

Em um momento de pandemia em que poucos filmes estão sendo lançados no cinema enquanto outros estão sendo lançados diretamente no streaming. De cara eu já posso dizer que Tom e Jerry seria um ótimo filme para ser lançado em qualquer plataforma de streaming, já que o HBO Max, a plataforma da Warner Bros. ainda não chegou ao nosso país.

Tom e Jerry em seu novo longa metragem conta a historia da dupla de “gato e rato” em muitas confusões na cidade de Nova Iorque, onde Tom (Brian Stepanek), de uma forma estabanada apôs uma confusão com Jerry acaba se encontrando com Keyla (Chloë Grace Moretz) que por conta desse encontro acaba perdendo seu emprego. Agora na busca de um novo emprego Keyla, Tom e Jerry tem um interesse em comum, o um famoso hotel de Nova Iorque, mas Terrance (Michael Peña) fique na cola dos três, ainda mais com um casamento de famosos preste a acontecer no hotel.

Antes que eu fale os problemas do filme vou ressalta as suas qualidades, que são duas. A primeira qualidade do filme é o universo que é nos mostrado, uma realidade onde todos os animais são animados, fazendo então crê que tudo aquilo que acontece durante o filme seja plausível, já a segunda qualidade tem ligação direta com a primeira, a forma em que os atores foram dirigidos para interagir com todos os animais que aparecem no filme é muito bem feita, pois em nenhum momento os atores ou as animações ficam perdidas quando estão na mesma cena.

Mesmo com essas qualidade e um bom elenco o filme não consegue se sustentar, por mais que eu seja um velho e o foco do filme seja para crianças, o roteiro do filme é chato e com piadas fracas, o filme se arrasta por quase duas horas, você fica pedindo para o filme acabar e parece que o final não vai chegar nunca. A piadas onde Tom tem que apanhar de algum personagem vai além das surras que ele leva do buldog Spiky, onde até humanos o lhe dar maus-tratos. Algumas piadas que você ainda sorrir é quando trás alguma referencia a eles mesmo ou outras propriedades da Warner, porém algumas vão ao exagero e perdem a graça.

As atuações no filme são fracas e caricatas, dá até para notar que Chloë Grace Moretz e Michael Peña tentam fazer o possível para agradar, mas o roteiro fraco não deixa eles mostrarem o trabalho deles. Mesmo com um filme logo o problema que é apresentado no filme é resolvido de uma forma simples e rápida, dar um que na hora da montagem do filme viram que o filme estava ficando grande demais e resolveram acabar logo. Tom e Jerry é um filme clichê que se perde, onde os personagens que dão nome ao filme são coadjuvantes no próprio filme.