Crítica | Mortal Kombat Legends: A Vingança de Scorpion

Crítica | Mortal Kombat Legends: A Vingança de Scorpion

abril 29, 2020 0 Por Gustavo Oliveira
no title has been provided for this book
Após o massacre cruel de sua família pelo mercenário Sub-Zero, Hanzo Hasashi é exilado no tortuoso Netherrealm. Lá, em troca de sua servidão ao sinistro Quan Chi, ele tem a chance de vingar sua família e ressuscita como Scorpion, uma alma perdida que se vê obrigado a participar do torneio do Mortal Kombat.

Mortal Kombat é um item básico na comunidade de videogames. O jogo de sucesso da Midway Games começou a atrair jogadores em 1992, causando até um rebuliço devido aos seus horríveis movimentos finais, que levaram à implementação do sistema de classificação ESRB para videogames. Desde então, continua a cultivar uma incrível base de fãs que cresce ano após ano. Depois que a Midway Games faliu em 2009, a franquia foi adquirida pela Warner Bros. Entertainment. Após essa aquisição, a Warner Bros. Animation decidiu criar seu próprio recurso com base na propriedade, e eles o expulsaram do parque. Mortal Kombat Legends: A Vingança de Scorpion aprecia seu material de origem e fatalities terríveis, participando de uma divertida viagem emocionante.

O filme começa com Hanzo Hasashi (dublado por Patrick Seitz) ensinando seu filho Satoshi (Gray Griffin) sobre os caminhos do escorpião. No caminho de volta para sua vila, eles descobrem que foi emboscada pelo clã Lin Kuei, com Sub-Zero (Steve Blum) liderando o ataque. Depois de descobrir que sua esposa morreu no massacre, junto com seu filho pouco tempo depois, Hanzo enfrenta Sub-Zero em uma terrível batalha que, infelizmente, termina em derramamento de sangue pelo primeiro. No entanto, Hanzo é milagrosamente ressuscitado no Netherrealm por um feiticeiro chamado Quan Chi (Darin De Paul), que explica que ele pode se vingar de Sub-Zero lutando por ele no 10º torneio anual de Mortal Kombat. Ele concorda com o acordo e assume uma nova identidade no processo para homenagear seu filho: Scorpion.

No Earthrealm, vários lutadores também estão se preparando para o torneio, mas principalmente para ajudar a defender seu reino, em vez de alcançar a glória. Raiden (Dave B. Mitchell) e Liu Kang (Jordan Rodrigues) lideram a equipe heterogênea de lutadores que se propuseram a competir, incluindo os recém-chegados Sonya Blade (Jennifer Carpenter) e um ator excêntrico chamado Johnny Cage (Joel McHale). Embora alguns deles estejam participando por diferentes motivos – Sonya para rastrear o líder do Black Dragon, Kano (Robin Atkin Downes), e Johnny apenas acredita que ele está indo para um set de filmagem – todos são forçados a se unir no final para proteger o mundo que eles chamam de lar.

É evidente que o diretor Ethan Spaulding é um grande fã da franquia, já que há muitas falas clássicas de Mortal Kombat por aí e os fatalities são feitas com o máximo efeito. No que diz respeito a este último, o filme realmente não esconde nada quando se trata de sangue. De crânios e espinhos rasgados nas cabeças a braços sendo arrancados das órbitas, as fatalidades certamente satisfarão todos os fãs de Mortal Kombat . Literalmente, “Finish him!” tem tanta promessa quanto nos jogos. Está claro que os animadores se interessaram pela ação e pelos efeitos, mostrando cada movimento final com detalhes excruciantes, acompanhados de muitas pressões e rachaduras para proporcionar aos espectadores a experiência completa.

Mortal Kombat Legends também captura excepcionalmente bem o mundo do videogame original, enquanto ainda encontra maneiras sutis de se destacar. Até os desenhos dos personagens são únicos, com cada dublador trazendo uma abundância de carisma e energia para seus respectivos papéis, resultando em excelentes performances. McHale e Carpenter, em particular, têm algumas das maiores interações. A atitude ousada e dura de Sonya contrasta bem com a personalidade auto-absorvida e encantadora de Johnny. Até McHale encontra maneiras inteligentes de usar frases insolentes, que trazem seu próprio talento cômico pessoal ao personagem de Johnny.

Apesar de um começo lento, que pula para apresentar todos os seus principais personagens, o filme tem um ótimo ritmo quando começa. Mantém os espectadores em alerta com muitas sequências de ação, cenas de luta e uma história sólida. Mortal Kombat Legends: A Vingança de Scorpion é uma excelente estréia para os filmes de Mortal Kombat da Warner Bros. Animation, pegando todos os aspectos que os fãs mais amam na franquia e executando-os com estilo. É um começo sólido que prova que a empresa sabe o que está fazendo com a propriedade e, esperançosamente, eles têm parcelas mais emocionantes reservadas.