CRÍTICA | Homem Aranha: Sem Volta Para Casa

no title has been provided for this book
Em Homem-Aranha: Sem Volta para Casa, Peter Parker (Tom Holland) precisará lidar com as consequências da sua identidade como o herói mais querido do mundo após ter sido revelada pela reportagem do Clarim Diário, com uma gravação feita por Mysterio (Jake Gyllenhaal) no filme anterior. Incapaz de separar sua vida normal das aventuras de ser um super-herói, além de ter sua reputação arruinada por acharem que foi ele quem matou Mysterio e pondo em risco…

Amadurecimento, começo esse texto com essa palavra porque é sobre isso que ‘Homem Aranha: Sem Volta Para Casa’ quer falar pra gente. Lembrar da saga desse Peter Parker interpretado por Tom Holland que desde o começo da sua jornada no MCU(Universo Cinematográfico Marvel) tem divididos os fãs do herói. Este filme fala sobre o que é ser o Homem Aranha e a responsabilidade que vem junto depois de ganhar poderes. Homem Aranha: Sem Volta Para Casa, é a evolução de um garoto em um homem.

O roteiro deste filme está longe de ser perfeito, mas o acertos dele faz você esquecer completamente todo e qualquer erro. Diferente dos outros filmes que em alguns momentos não sabe muitas vezes o que fazer com os personagens e esquece que o personagem principal é o Homem Aranha, neste, todo o texto é escrito para nos fazer entender e fazer parte da história do Peter Parker. A carga dramática e a coragem que o roteiro tem é incrível, que se completa com a melhor atuação de Tom Halland como Homem Aranha. Junto com tudo isso temos as atuações incríveis dos vilões, Willian Dafoe está maravilhoso como Duende Verde, acho que até melhor do que no filme de 2002.

O filme em alguns momentos não sabe o que fazer com todos os personagens, então tenta de forma fácil sumir com alguns deles para que possa trabalhar outros. O filme também tenta ser muito explicativo, até em momentos desnecessários. O que ainda se repete dos erros dos outros filmes é núcleo escolar do Peter, é muito mais do mesmo, algumas piadas não tem mais nem graça. As cenas de ação são incríveis, mas você sente que o John Watts ainda não entregou tudo na sua direção quando assunto é as acrobacias do Homem Aranha, parece que falta algo.

Meu maior medo quando fui ver este filme era que o filme se prendesse ao fan service e mais uma vez esquecesse de desenvolver o Peter Parker, que mais uma vez ele ficasse nas asas de um outro herói. Aqui Tom Holland consegue levar o seu filme sozinho, mesmo tendo que dividir tela com outros vários personagens. Com tudo que acontece aqui podemos dizer que essa é a origem do Homem Aranha do MCU, o que tínhamos visto antes era apenas um prólogo para chegar até aqui.

Co-Fundador do Studio Cabeçalho, fundador do Site Cabeçalho, Apaixonado por cinema e audiovisual, mas que realmente sempre quis ser o Power Ranger vermelho.