fbpx

Talvez a lua deva cair na terra mesmo | CRÍTICA – Moonfall: Ameaça Lunar

CRÍTICA | Moonfall: Ameaça Lunar

no title has been provided for this book
Em Moonfall, por motivos desconhecidos, a Lua sai de sua órbita e passa a se deslocar em direção à Terra, podendo causar uma colisão em breve. A ex-astrounauta da NASA, Jo Fowler (Halle Berry), acha que pode resolver essa situação e impedir que o impacto aconteça, mas apenas um de seus colegas (Patrick Wilson) acredita nela. Em situação de emergência, um grupo de cientistas não especializados no assunto aceita a missão de ir até a…

Filmes de catástrofes já são conhecidos por muitos hoje em dia pelo o grande uso exagerado de efeitos visuais e destruições em massa, para tentar convencer o publico em pagar o ingresso do cinema, coisa que anda bem cara ultimamente. Moonfall: Ameaça Lunar é do diretor Roland Emmerich conhecido por Independence Day e 2012, entre outros filmes do gênero. Moonfall é só mais um filme de destruição e efeitos visuais genérico ou ele entrega algo a mais?

Filmes deste gênero precisam deixar claro no começo se vão tentar trazer uma boa aventura ou vão ser uma grande galhofa, o que não é o caso de Moonfall. O filme não sabe o que pretende entregar ao publico. Ele tenta trazer momentos de tenção, porém todo o perigo que o filme busca entregar não tem credibilidade alguma, mesmo trazendo algumas perdas durante a jornada. O roteiro preguiçoso com diálogos terríveis que dão vergonha alheia, faz você ficar triste, pois Halle Berry e Patrick Wilson ainda tentam entregar alguma coisa, pois suas atuações estão boas.

Todas as cenas do filme são feitas em estúdio, até em uma cena que o personagem do Patrick Wilson anda em uma moto você nota o fundo verde. Moonfall não tem sequer uma locação de verdade. As sequencias de ação no espaço parece cenas de vídeo game. Há uma cena de carro que é IGUAL a cena de carro em 2012. A escala das coisas que estão na lua não são nada criveis, mesmo o filme tendo cena bem aberta para mostrar a grandeza das coisas, parece que a lua é do tamanho de um quarteirão.

A percepção de tempo no filme é péssima, você não consegue notar que o tempo passa, quando o roteiro quer dar uma sensação de urgência não funciona, o tempo passa como uma luta em Dragon Ball, que 1 minuto são 5 episódios. Na sua parte final é apresentado um novo problema, que traz soluções absurdas, para o que já estava acontecendo. Se os personagens tivessem virado os Power Ranger teria feito muito mais sentido. O filme é uma grande salada de teorias da conspiração, que para quem realmente acredita vai sair do filme conspirando ainda mais. Respondendo a pergunta do começo deste texto, sim, Moonfall: Ameaça Lunar é mais um filme genérico, que nem em IMAX justifica a ida ao cinema.

Gustavo Oliveira

Co-Fundador do Studio Cabeçalho, fundador do Site Cabeçalho, Apaixonado por cinema e audiovisual, mas que realmente sempre quis ser o Power Ranger vermelho.